25
Abr 09

A fumaça do café quente embaça meus óculos mas esclarece meus pensamentos.

Ele tomando banho, num banheiro de hotel. Nós dois sozinhos, no que me parece uma situação constragedora. Meia porta nos separa, entreaberta, deixando um pouco do vapor da água escandante sair pelas frestas.

- Sabe eu não sei como dizer isso, porque esse é o tipo de coisa que exige mais do que palavras..eu tô nervosa. Mas preciso dizer.... Eu te amo..e fico pensando em você o tempo todo, e não planejei nada..eu só queria te conhecer, e desvendar quem você é..mas mudou. tudo mudou.

-Você tá falando alguma coisa???

- tô, mas não precisa ouvir. eu só quero poder falar isso alto.

- fala mais alto que eu não tô ouvindo nada.

- é exatamente isso. não precisa ouvir. só quero me orgulhar de ter dito isso em alto e bom som. Fulano...eu te amo. Não me magoe, não me decepcione, não me ignore mais. Gostaria que tudo fosse como antes..quando confiava em mim.

Os passos lentos, correndo todo o quarto. Rodando em círculos meus pensamentos só chegam até ele. Como os meus pés que insistem em parar na frente do banheiro. E de lá me afastar com a mesma pressa que chegaram.

- talvez se você abrir a porta do banheiro, eu consiga te ouvir..abri aí!

-Não!não, precisa não...

- o box tá fechado não dá pra ver nada.

-seu telefone tá tocando.

-quem é??

- um tal de turco..

-ahh...deixa tocar. abri a porta..pra mim te escutar.

Chuto a porta gentilmente pro lado..e me ponho de costas pro banheiro. Como um segurança protegendo um camarim muito importante. Na verdade o estou protegendo de mim. Desses sentimentos que ele não quer. Dessas verdades que ele não aceita.

A conversa não acaba aí. Mas muda. E eu volto a ser a covarde que nunca diz ou faz o que deveria ter dito e feito.

Tudo é sobre amor, em excesso ou ausência. Existe uma linha muito fina que separa Amor de desejo, e esse de dependência. As vezes você a ultrapassa e nem se dá conta. As vezes é só o desejo cegando o amor. Ou o amor se transformando em necessidade. E nessas vezes o que fazer?? Como fugir de si mesmo??

Uma vez sonhei que estava caindo de um precípio, e eu nunca sabia como tinha caído ou para onde estava indo, me debatia, gritava e chorava, até que um pedra quebrava minha coluna ao meio, e dividia meu corpo em dois, e antes de sentir a dor, eu voltava pra queda. Isso durou alguns dias, de noite sempre haviam as mesmas brigas, gritos e palavrões por cair na tal pedra. Até que eu parei de lutar. Fiquei imóvel, esperando a pedra me quebrar, dessa vez não doeu, não incomodou. A dor passou por mim. Foi além. Porque eu desisti de me desesperar, desistir de lutar contra ela. A aceitei como parte do que sou. Nunca mais tive esse pesadelo.

Quantas vezes lutamos contra o que é inevitável??e quantas funciona se opor??

A dor e a decepção fazem parte da vida. Ela acontece a cada instante, é como um jogo, você pode entender as pessoas, saber o que elas vão fazer, mas tudo muda a todo instante. Até o amor muda, aliais, principalmente ele muda.

-Sê, você tá aí??

-claro que tô...sou a única que dorme com vc, lembra??que pergunta besta..

-hum...tah..hauhauhauhauha. Você o ama?? mas tipow, amor mesmo...desse, igual da Bella e do Edward..ama??

- affê..amo.

- E como cê sabe que é amor?? pode ser paixão..de menininha..hauhauhauahuah

-hum...pode sim. Todo muito sente isso em algum momento da vida. Comigo aconteceu mais cedo. Só isso....mas eu sinto que é amor. E eu poderia dizer essas coisas de borboletas no estômago e sininhos tocando, mas o que eu sinto esta além dessas descrições. Eu...o quero. Como nunca quis ninguém ou como nunca pensei que poderia querer. Quero o seu bem, sua felicidade..e gostaria que ele me amasse. Mas..o que eu quero mesmo..é que ele seja feliz. Antes eu achava que não era capaz de fazer isso, mas agora...eu confio em mim. Que seria capaz de fazer tudo para deixá-lo feliz. Até sumir da vida dele.

-huahuahuahuahuahua..entendi. Mas..dói??

-Pensar nisso?? com certeza. Acho que nada pode doer mais do que aquilo que senti no dia que..saí do quarto dele. Que, o deixei sozinho. E olha...doeu pra caramba..a indiferença dele. Ele....nem sorriu pra mim. Nem uma única vez.

- Cê já pensou em parar de pensar nele??

- Lógico. pensei, tentei, fracassei. Puts..você realmente quer ter essa conversa as 3:47 da manhã Regininha???tenho que acordar cedo.

-hauhauahuahuahuah...quero carne. tô com uma fome.

Eu me levanto, emputecida. Ela esta com os olhos fechados, no mais tranquilo e falante sono do mundo.

- Tagarela dorminhoca filha da mãe. amanhã você me paga.

E ela continua dormindo e rindo e fazendo juras de amor ao namorado, além de contas do pagamento  e briga com os irmãos. Eu fico acordada, pensando na conversa e em como gostaria de fita isolante pra calar minha adorável companheira de quarto.

É incrível como toda a sua vida, parece pertencer a uma pessoa que nem tem idéia do poder que tem sobre o seu coração.

Alguns dias você não consegue respirar, e seu corpo parece um quebra-cabeça, cada pedacinho seu esta longe demais pra ser  recuperado, você simplismente não existe. Esta vazia, seca, inrrecuperável. E um novo amor não pode curar isso, porque pra se amar tem que se ter coração, e olhos abertos. Coisas mortas e gastas pela amargura. Corroídas pelo tempo, que tenta provar que o amor que dura pra sempre é só da Bella e do Edward, do Superman e da Louis.

P.S:. Obrigada a querida Regina que roubou noites do meu precioso sono com risadas, choros, brigas e conversas sem sentido para os despertos, e extremamente interessante para os sonâmbulos de plantão. te amo guria :)

publicado por serenaatedemais às 22:28
Precisando de : Precisando de mais café
Ouvindo: The Story - Norah Jones

24
Abr 09

 


Provavelmente quando ler isso, eu estarei saindo pelo portão.

Me desculpe por ser tão covarde e não me despedir da forma convencio

nal, aquela que envolve mais palavras amargas, meio sorrisos, talvez algum abraço falso perdido no ar, lágrimas, e o elemento essencial: a dor. Por te deixar de novo, por me odiar por te odiar mesmo que por alguns minutos, por desistir de tentar se feliz nessa casa.

As vezes quando eu estava no trabalho, na noite escura como uma xícara de café numa cozinha sem lâmpada, eu pensava em casa, pensava em você, e no meu quarto, e em deitar minha cabeça no seu colo e ouvir suas reclamações sobre a vida, e eu sentia falta disso. Sentia falta de tudo isso: do calor das suas mãos, das suas raras risadas, e até das velhas frases amarguradas da sua vida, sentia falta desse sentido de "lar" meio obsessivo e solitário, mas o único que eu conhecia, enquanto eu estava lá, eu pensei que tudo podia ser diferente entre a gente, que haveria respeito, e compreensão. Era ilusão.

Sempre que eu voltava pra casa, seja daonde estivesse vindo, pensava que tinha pra quem voltar, que tinha um "alguém" que me amava, mesmo sem me conhecer o suficiente. Ou aceitar como eu era, que esse alguém..poderia ser capaz de me entender.

Você sempre foi esse alguém pra mim.

Como eu posso dizer que sou grata, realmente, sinceramente grata por tudo o que me fez, mas que não é a sua vida que eu quero pra mim??

Como eu posso dizer que não me orgulho quando vejo assim tão morto e triste o coração mais batalhador e digno de orgulho que já conheci??

Vó, a senhora é toda minha família, todo o meu mundinho esta em você, e no nosso relacionamento paranóico , e por isso te daria minha vida, o mundo, tudo o que precisa ou quer , e o que não tenho eu...faria mais do que o possível pra conseguir te dar.

Por que diante de tudo o que te ofereço você me pede minha liberdade??

Você proibi a felicidade dos meus pensamentos, tolos, bobos, apaixonáveis.

Mas meus..são meus. Todos eles, todas essas palavras, meus textos, meus desenhos, meus livros e músicas, junto com meus sonhos são tudo o que eu tenho. Meus tesouros.

São idiotices como a senhora diz, talvez nunca me levem a lugar nenhum. Mas e agora, onde estou, que lugar é esse?? o que estou tentando proteger é melhor do que posso ganhar indo embora daqui??

Eu sou fraca, gostaria de ser como você. Forte o suficiete pra suportar ser mãe solteira de dois meninos e compreensiva pra aceitar criar uma adotiva, tolerante pra trabalhar com uma mãe doente e resmungona, ser mais do que mulher, cuidar tanto dos outros a ponto de se esquecer de como é olhar seu rosto no espelho. Eu não sou assim.

E acredite eu gostaria de mudar, muito. Por todo mundo qe me ama e espera mais, e espera que eu seja..normal de um jeito que eu não entendo, ser mais do que isso que sou. Do que o grande nada que sou, mas não posso. Isso, essa coisa de sonhar, nasceu em mim.Nem a corda mais forte do mundo pode me prender ao chão. Meus pensamentos me levam e meus sentimentos me arrastam.


Por favor, não me odeie. E se não conseguir, também não precisa me amar mais. A senhora deu um quarto de vida em meu nome, da minha educação, alimentação, cuidados, e agora o que eu dou?? um adeus. Numa carta com uma letra horrível.

Eu te amo, pra sempre. E nunca vou te esquecer, estou te levando comigo, só não posso mais ficar aqui. Vendo- a morrer aos poucos, se matar com a tristeza de viver.

Por favor acredita em mim. Tentei, o máximo que pude, ser  um pouco mais do que queria que fosse.

P.S:.Lembra que uma vez me perguntou por que todos meus amigos me chamam de Serena, ao invés de Priscylla, é porque eu pedi, só você pode me chamar assim, só você pode brigar comigo e me odiar por ser quem sou, por ser filha de quem sou. Priscylla vai sempre carregar mágoa, neurose e tristeza. Serena é esperança, de que..talvez eu seja diferente dos meus pais, de que faça minhas escolhas com liberdade.

Com carinho e saudades. Serena pra eles. Priscylla pra Vó Bela.

publicado por serenaatedemais às 02:21
Precisando de : abandonada
Ouvindo: Hurt - Johnny Cash

Abril 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23

26
27
28
29
30


subscrever feeds
Frio de tão velho
Alguma coisa sobre mim

ver perfil

seguir perfil

6 seguidores

pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

links
blogs SAPO